terça-feira, 17 de novembro de 2009

O poder das palavras – programe seu cérebro

Você deve estar pensando, “puta merda, como assim um texto com esse título de livrinho de auto-ajuda aqui no Cold Beer Inside?”. Se pensou isso, sinto lhe informar de que estava certo. Essa é sim uma postagem no melhor estilo auto-ajuda, mas não pense que virei bicha, se ler até o final verá que a parada que vou lhes explanar pode funcionar.

Sabe aquela vez que você se meteu no meio de uma discussão random, o fulano do outro lado te falou meio mundo de coisa que você num queria ouvir, mas por algum motivo você simplesmente deixou o idiota falando sozinho? Daí quando você esfria a cabeça e pensa um pouco, fica muito puto por não ter agido de igual pra igual ou de não ter dito aquela frase que ia desarmar completamente o opositor. Pois é caro amigo, lhe faltou presença de espírito pra tomar a atitude ideal pra situação.


Então chegamos ao ponto que eu queria: programe seu cérebro pra que numa próxima situação semelhante você se lembre exatamente o que tem que fazer. “E como diabos eu faço isso sem ser um personagem de filme de ficção científica?” – você me pergunta. É simples. O pulo do gato é que é muito mais fácil lembrar de uma única frase do que lembrar de todo um padrão de atitude que você teria que seguir em dada situação. É quase como usar de um mantra.

Voltando ao exemplo que dei lá em cima, quando acontecer de novo a mesma merda, você simplesmente se lembra das palavras “presença de espírito” e automaticamente seu cérebro te remeterá àquilo tudo que você pensou em fazer quando parou pra pensar com calma depois do episódio. É tipo um link mental, você o acessa só pelo título e chega ao conteúdo automaticamente.

Isso funciona com centenas de outras situações e é só saber como “programar” seu cérebro. Provavelmente você num é nenhum autista e não vai precisar de 300 programadas dessas, use só para aquelas coisas que você sabe que sempre se fode porque num consegue pensar direito no calor da situação. Se você for daquele tipo de bêbado miserável que mija a própria perna quando vai se aliviar, usar disso que eu tô explicando pode ser bastante útil para manter sua calça seca e sem aquele cheiro repugnante de urina.

Pensei em usar a foto de um cara mijado, mas a da mulher gostosa (mesmo mijada) deixa o blog mais bonito

Agora se você enquanto lia o exemplo lá do começo, você se lembrou daquela vez que um cara duas vezes maior que você (em altura e largura) tentou te intimidar porque achou que você estava olhando demais pra mulher dele no bar, sendo você uma bichinha franzina usando uma camiseta do Weezer, esqueça de tudo que eu disse e simplesmente corra! Run fag, run!

5 comentários:

  1. Isso realmente funciona.. é engraçado como é tipo um link mesmo auhsdhuasda

    ResponderExcluir
  2. Oi, tô com o orkut novo e estou sorteando aos seguidores do meu blog, um convite para o novo orkut, se estiver interessada(o), é só entrar no blog: http://visaopoetica84.blogspot.com/

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  3. programar o cérebro é trabalhoso, mas funciona. :P

    ResponderExcluir
  4. Interessante! Vou tentar!

    ResponderExcluir
  5. Eu sou um pouco temerosa com qualquer tipo de “programação” nas atitudes, porque me parece um pouco “falta de autenticidade”. Nas minhas calorosas discussões mentais, é simples: me encho de argumentos convincentes e me dou bem. Na hora, mesmo, é complicado. E digo isso por passar também por essas situações e sempre “perder”, porque simplesmente perco todos os argumentos e minha cabeça fica vazia. Mas eu gostei. Vou tentar numa próxima =)

    ResponderExcluir